Father and Daughter

Loading...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

viver
existir
manter-se
permanecer
perpetuar-se

5 comentários:

Augusto Bier disse...

Perpetuação sublime
é quando o grilo albino
rompe a escuridão da tumba
e chora de alegria
no arrabatamento
de cantar pra lua

tonhOliveira disse...



EXistir nunca Houve?

Deixar-me e ir!

Beij♥s!

Edith Janete disse...

Puxa Bier,
Um grilo mais que feliz!

beijoca

Edith Janete disse...

hehe...
Tonho, Tonho!
Perpetuado estás!

Augusto Bier disse...

"Faz tempo que tenho um sonho: fazer um cemitério. Mais precisamente: plantar um cemitério. Pois nele não se enterrarão cadáveres, mas as árvores que crescem no corpo dos mortos. Assim, à medida que as pessoas queridas forem morrendo, eu irei plantando as árvoroes que mais se parecem com elas (...) Plantarei, para o Quinan, uma jabuticabeira e uma magnólia. Quando a magnólia florir, suspeitarei que ele está por lá. Quando a jabuticabeira pretejar, saberei que ele está por lá". (Rubem Alves, em Concerto Para Corpo e Alma, Papirus, Campinas, 2008. p. 117)